Arquivo da categoria artigos

PorAlmadaMundo

HOMENAGEM SENTIDA A CARLOS GARGATÉ 

Era uma vez …  Um homem, professor, criativo, cidadão, amigo 

Um ser humano de eleição, atento, exigente, inclusivo, observador, utópico, no modo de desafiar a escola a pensar (-se), a organizar (-se), a refletir (-se), a construir (-se), a descobrir (- se), a acreditar, no seu infinito potencial humano, com visão de futuro, em valores de liberdade, fraternidade, criatividade, em alegria para aprender a aprender e a ensinar, de forma significativa, comprometida.

Um sublime privilégio!

Um homem amável e sensível, de princípios, amante do estudo e do trabalho, sereno, flexível, criativo, que compreendeu o valor do exemplo, como legado vivo, que se reinventa e regenera permanentemente, na raiz da educação a viver no AE Carlos Gargaté, que prima por saber como preparar para a vida, na senda do seu grande patrono, mestre e discípulo.

Um sublime privilégio!  

Um professor diretor estratega, armado de um sorriso franco, de um olhar profundo, de um natural inconformismo, em demanda do bom, do belo e do justo, que permanece e inspira a pensar, a sentir, a agir, na escola e na vida, humana e apaixonadamente.

Um sublime privilégio!    

Os nossos sentimentos, a nossa gratidão!
A nossa eterna saudade!
Graças à Vida!

Maria Adelaide Paredes da Silva

 

PorAlmadaMundo

Apresentaçāo on line do projeto Corre-Mundos

dia 2 de março, 3a feira – 18h00-19h30
Junta-te à reunião Zoom, usa o qrcode ou este URL
https://us02web.zoom.us/j/81090495738?pwd=aUhzUy9QcW1PeWx0b1RmZ2dsUUx4dz09

Meeting ID: 810 9049 5738
Passcode: 332116

Acreditas no poder transformador da arte? Já estiveste (ou gostarias de vir a estar) envolvido(a) em projetos artísticos, educativos ou associativos?

És um(a) jovem migrante/descendente de migrantes a residir em Almada? Tens entre 16 a 35 anos de idade? Então, “CORRE-MUNDOS – Transformação Comunitária pela Art`Inclusiva”, é o projeto certo para ti!

Confirma a tua participação para  corremundos2021@gmail.com

Um projeto para dois anos (Janeiro 2021-Dezembro de 2022), que se propõe fomentar impactos positivos sustentáveis e inclusivos no desenvolvimento local de Almada através de um programa multidisciplinar de educação formal (que cruza a arte – dança, teatro, música e vídeo – e a liderança comunitária) e de educação não-formal (através de um conjunto de atividades, designadas de ”hibridismos culturais”, abertas a vários públicos, e que acontecem na e com a cidade de Almada). Quem pode participar? Jovens entre os 16-35 anos de idade, migrantes ou descendentes de migrantes que estejam a residir em Almada (grupo ainda por constituir, até 35 jovens).

CORRE-MUNDOS é um dos 16 projetos (de um total de 132), financiado no âmbito da 1ª edição do programa “Partis&Art for Change”, uma iniciativa Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação “La Caixa”.

Se estás a achar interessante, ou se te estás a lembrar de alguém com o perfil adequado para ser um CORRE-MUNDOS, reserva já na tua agenda o dia 2 de março (3ª feira), entre as 18h00-19h30 – primeira call on-line para que possas conhecer melhor o projeto e toda a equipa envolvida (Filipa Francisco, Cláudia Vaz, Adelaide Silva, Ana Paula Silva, Clara Andermatt, Bruno Cochat, Piny, Libânia Nazareth, Marco Paiva, Caio Quinderé, Joāo Pinto, Miguel Canaverde, José Pires, António Pedro, Ricardo Freitas, Joāo Silva, Carlota Lagido, Luis Cruz, Aldara Bizarro, Manuela Pedroso, Miguel Abreu, e Marco Paiva) – o primeiro momento do início de uma viagem que se pretende inspiradora e transformadora. Para que, contrariamente ao pássaro Corre-caminhos (espécie endémica da Madeira e das Canárias, e que serviu de inspiração à designação atribuída a este projeto) que levanta voo apenas quando se sente ameaçado, possas voar na tua imaginação porque te sentes seguro e confiante no teu empowerment de transmissão e transformação social pela arte. Juntos por uma cidade mais inclusiva e socialmente mais justa, pela ação da arte.

Marca a tua presença!.

Redes sociais do projeto
facebook
instagram

 

Link para mais informações

PorAlmadaMundo

UFCD 7844 – Gestão de Equipas

13 de abril

À distância (25h online)
Curso gratuito e certificado pelo Lisboa 2020.

Formadora Giovana Pires

SABER MAIS:
http://www.catalogo.anqep.gov.pt/Ufcd/Detalhe/413 

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO:
População ativa, empregados (9.º ano) e desempregados (12.º ano);

Entrega obrigatória dos seguintes Documentos:
– Empregados: Declaração da entidade empregadora ou recibo de vencimento
– Desempregados: Inscrição no IEFP ou declaração de honra
– Cartão de cidadão/ Título de residência
– Curriculum Vitae
– Certificado de habilitações
– Comprovativo de IBAN com nome do titular de conta

Almada Mundo Associação de Formação, Educação e Inovação
almadamundo.amai@gmail.com
formacao@almadamundo.com

920179300

Formulário

EDUGEP – Ficha Inscrição Modular

PorAlmadaMundo

Serão de Leitura Coletiva de Poemas no dia 8 de Março a partir das 20h

No âmbito do Ciclo “Conversas Poéticas”, dinamizado por Ana Sofia Souto, a Associação Internacional Almada Mundo convida a comunidade a celebrar, em poesia, o Dia da Mulher. No dia 8 de março, junte-se a nós num Serão de Leitura Coletiva de Poemas. A partir das 20h, venha ler e ouvir poemas de vários autores, e comemorar as mulheres do mundo! 

Entrar na reunião Zoom

https://zoom.us/j/97082798744?pwd=bVd2NE1OUVlzRmFzWGRPdXJYUjJOdz09

ID da reunião: 970 8279 8744
Senha de acesso: 359193

PorAlmadaMundo

UFCD 0349 – Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho – Conceitos básicos

19 de março a 14 de abril

À distância (25h online)
Curso gratuito e certificado pelo Lisboa 2020.

formadora Susana Carvalho

Desenvolver competências ambientais, adequação de medidas de segurança, higiene e saúde no trabalho, consciência de riscos e respetivas medidas de prevenção e de proteção, individual e coletiva, legislação em vigor, para aplicação de boas práticas em contexto profissional.

SABER MAIS:
http://www.catalogo.anqep.gov.pt/Ufcd/Detalhe/413 

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO:
População ativa, empregados (9.º ano) e desempregados (12.º ano);

Entrega obrigatória dos seguintes Documentos:
– Empregados: Declaração da entidade empregadora ou recibo de vencimento
– Desempregados: Inscrição no IEFP ou declaração de honra
– Cartão de cidadão/ Título de residência
– Curriculum Vitae
– Certificado de habilitações
– Comprovativo de IBAN com nome do titular de conta

Almada Mundo Associação de Formação, Educação e Inovação
almadamundo.amai@gmail.com
formacao@almadamundo.com

920179300

Formulário

EDUGEP – Ficha Inscrição Modular

PorAlmadaMundo

Homenagem à Grande Mulher Fernanda Angius

HOMENAGEM À NOSSA ESTIMADA ASSOCIADA HONORÁRIA FERNANDA ANGIUS

Queremos perpetuar  a memória da nossa querida amiga, Fernanda Angius. Reconhecer e celebrar uma grande mulher, uma grande professora da Língua Portuguesa, um ser de cultura, de causas, de enorme coração, resistente e crente no potencial humano. Fonte de uma  inesgotável vontade, de uma infinita bondade, distinta referência de solidariedade e fraternidade. 

Livre e incrível, na sua história de vida emocionante, edificante.

Recordo o seu apelo, o seu fio de voz, “vem visitar – me”. Não houve tempo, nem condições, nem como. 

A Fernanda Angius partiu, tal como viveu, dignamente. Tão forte, tão ousada, tão pronta para a viagem. Sempre inteira, no seu modo de viver, de comunicar, de ser parte, com o outro. Recetiva e sonhadora, criativa e inclusiva. Amiga. Presente.

Felizmente, acolhemos e registámos a tempo as suas fantásticas memórias sábias, promissoras, plenas de amor à Vida. 

Partiste e ficaste, bem guardada em nós, minha e nossa irmã no sonho, no sentido da construção de um mundo humanizado, esperançoso.

Permanecerá a tua alegria, ternura, reciprocidade, comunhão, inspiração para buscar caminhos.

Muita luz e muita gratidão. Eterno descanso em paz.

Que a tua força e coragem nos reforce, estimule e ilumine, que seja em nós, Almada Mundo Associação Internacional de Educação, Formação e Inovação Viva. Sempre. 

Abraços Mundo 

Pela Direção da

Almada Mundo Associação

Maria Adelaide Paredes da Silva

 

Camões – Centro Cultural Português em Maputo

Faleceu no dia 20 de Janeiro, no Hospital Santa Maria em Lisboa, Maria Fernanda Dos Reis Ribeiro Angius (Fernanda Angius), Leitora do Camões na Universidade Pedagógica de Maputo, de 1990 até 1997.

Nascida em Lisboa, em 1936, Licenciada em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Fernanda Angius foi Leitora do Camões em Florença (Itália) e em Harare (Zimbabwe), antes de abraçar funções em Maputo. Participou em diversos projetos relacionados com o ensino da língua portuguesa e com a formação de professores de Português em Moçambique. Paralelamente à sua atividade de funcionária da Emissora Nacional (atual RDP) e docente do ensino secundário, dedicou-se ao estudo dos novos criadores e das novas expressões na literatura africana, com particular realce para a literatura moçambicana. Desde o início da sua carreira como professora e logo ao serviço do ICALP (década de 70), Fernanda Angius dedicou-se de uma forma incansável e apaixonada ao ensino do português e das literaturas em língua portuguesa, tendo acompanhado de perto a afirmação de Mia Couto como prosador e a evolução poética de Eduardo White, entre numerosos outros escritores que se tornaram exímios representantes da literatura moçambicana como, por exemplo, José Craveirinha, Orlando Mendes, Ungulani Ba Ka Khosa, Paulina Chiziane e Virgílio de Lemos. No Centro Cultural Português, juntamente com os colegas Leitores e beneficiando da cumplicidade com José Soares Martins, então Adido Cultural da Embaixada de Portugal, envolveu-se com grande entusiasmo na preparação dos Cursos de Literatura em Língua Portuguesa, realizados com docentes da UP e da UEM, atividade que se tornou cedo um ex-libris do Centro Cultural Português em Maputo. Igualmente assinalável foi o seu desempenho na elaboração de materiais didáticos no INDE-Instituto Nacional para o Desenvolvimento da Educação.

Apesar de ter terminado oficialmente a sua missão como Leitora do Camões em 1997, Fernanda Angius manteve a sua relação afetiva com Moçambique e com as letras moçambicanas a partir de Paris e de Viseu, onde passou a exercer outras funções, acompanhando o percurso de jovens escritores que acabaram por se distinguir como afirmadas revelações literárias em Moçambique. Tendo voltado a Maputo em 2015 e 2017, pelas suas oficinas de escrita passaram jovens talentos que seguiriam a afirmar-se na produção literária moçambicana como D. Midó das Dores, Andes Chivangue, Mbate Pedro, Pedro Pereira Lopes, Hirondina Joshua, M. P. Bonde, Japone Arijuane, Mauro Brito, Eduardo Quive, Alex Barga, entre outros, vozes que ficaram marcadas pelo burilar da palavra nos encontros com a Fernanda.

Foi membro da AMOLP-Associação Moçambicana da Língua Portuguesa, onde, entre outros, criou o boletim Português em Cordel. Em 2013, a par de Eugénio Lisboa e Teresa Roza D’Oliveira, formou o primeiro Júri do Prémio Literário Glória de Sant’Anna (foi, aliás, com a Glória que conheceu o mar de Pemba, que deu início a uma longa amizade com a Poeta). Na sua permanência no lar em Lisboa, onde passou a viver nos últimos dois anos, foi dinamizadora do grupo de residentes, tendo promovido sessões sobre cinema, música e literatura.

Por tudo quanto nos deu e nos deixou, Fernanda Angius ficará como um marco distintivo, que nos cumpre honrar, nas boas relações de Portugal e do Camões com Moçambique.

Camões – Centro Cultural Português em Maputo

Dia 20 de janeiro: Há pouco mais de uma hora morria no hospital vítima da Covid a minha muito querida amiga Fernanda Angius. Ela foi uma intelectual no sentido menos pretensioso da palavra. Quer dizer uma pessoa que passava o dia a pensar o mundo, e que pensava o mundo com palavras. Dona de uma mente brilhante, de uma cultura excepcional e acima de tudo de uma capacidade de expressão verbal fora do comum. Quando num evento improvisava uma intervenção nem por isso deixava de seguir todos os preceitos da oratória clássica. Falava com pontos e vírgulas, com parágrafos bem organizados, com uma estrutura que ia à procura de uma conclusão. No segundo que mediava entre ter os lábios fechados e abrir a boca para falar, ela já tinha escrito na mente o rascunho de um discurso perfeito. Com ela morre um mundo. Ou dois. Porque ela foi uma menina criada na boa sociedade Lisboeta de meados do século XX, ainda com decorações e preconceitos muito do século XIX, mas lutou para romper com tudo isso. Tirou um curso, ganhou sempre o seu pão com o suor do seu pensamento. Ela foi uma dessas pessoas que fez do mundo em que vivemos o mundo que é. Em Moçambique, uma das suas três pátrias (junto com Portugal e Itália), sagrou-se na promoção dos autores moçambicanos mais novos. Algumas das melhores horas que passei com ela foi em Maputo, a fazer de escrivão, dado que tinha deslocado um braço, para uma tradução que estava a fazer de um romance de uma autora moçambicana escrito originalmente em italiano. Era emocionante assistir ao desfile de jovens autores moçambicanos que vinham falar com ela. Interrompia-se a tradução. Bebia-se um chá. Falava-se de língua, de literatura, de Moçambique. De coisas queridas. Tinha-se uma sensação de vida dilatada, vida plena. Mas acima de tudo ela era humana, imensamente humana. Por vezes ingenuamente humana. Ela foi muito generosa com o mundo, e o mundo foi muito pouco generoso com ela. Morreu só e com dores por uma doença que lhe transmitiu uma cadeia de pessoas que na sua maior parte (ou então a doença não teria chegado até ela) não conseguiriam somar toda a quantidade de Humanidade que morreu com ela. Desculpem, portanto, que ao tempo que quero manifestar mais uma vez todo o meu amor por ela, queira manifestar também o meu ódio mais azedo pelo mundo.

João Guisan

Fernanda Angius deixou-nos há dois dias. Não quero deixar passar mais tempo sem falar um pouco desta mulher dinâmica e dedicada ao estudo e divulgação das Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, especialmente a de Moçambique.

Fernanda nasceu em Lisboa, a 16 de Outubro de 1936, tendo feito a licenciatura em Filologia Românica na universidade da sua cidade natal. Foi assistente de programas literários na Emissora Nacional, de 1965 até 1975, tendo neste ano deixado a Rádio e optado pelo ensino, profissionalizando-se no Ensino Secundário, no então Liceu das Caldas da Rainha. Mais tarde leccionou em liceus de Lisboa. De 1979 a 1984 foi docente do então Instituto de Alta Cultura para o Leitorado de Florença, tendo a seu cargo a disciplina de Língua e Cultura Portuguesa. Em 1986 o ICALP convida-a a trabalhar para a concretização da cooperação cultural de Portugal com a república do Zimbabwe. Neste país é, durante três anos, leitora do ICALP e, em 1988, é contratada pela Universidade local, assumindo a direcção do Departamento de Português na Universidade de Harare. Ainda como leitora nesta universidade africana inicia contactos com escritores moçambicanos, nomeadamente Mia Couto, de quem se torna amiga, admiradora e estudiosa da obra. Cada vez mais interessada em Moçambique, deixa Harare e regressa a Portugal com o objectivo de vir a ser leitora na Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo. Já nesta cidade acabará por ficar com o lugar de 1ª professora de Estudos Literários no Instituto Superior Pedagógico, a cujo quadro de primeiros docentes se junta com a Leitora Madalena Arroja. Em 1997 passa a fazer parte do grupo de especialistas de materiais didácticos no INDE (Instituto para o Desenvolvimento da Educação), colaborando na elaboração de livros e de materiais de ensino. Em 1998 deixa Moçambique e regressa a Portugal, continuando a trabalhar autores da nova literatura moçambicana e passando a ensinar, na Universidade Sénior de Viseu, a disciplina de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa.

Conheci Fernanda Angius quando colaborava nos eventos promovidos pelo Centro de Formação Almada Forma e, mais recentemente, na Associação AlmadaMundo, dirigida pela nossa comum amiga, Adelaide Paredes da Silva.

Bem hajas, Fernanda Angius.

Jorge Arrimar

PorAlmadaMundo

Somos agora parceiros do SPEAK e juntos vamos promover a diversidade e inclusão

Somos agora parceiros do SPEAK e juntos vamos promover a diversidade e inclusão na nossa comunidade!

A comunidade do SPEAK organiza grupos de línguas e eventos de intercâmbio cultural online e offline, onde qualquer pessoa pode aprender ou praticar uma nova línguas, e partilhar a sua própria língua com pessoas de todo o mundo!

O objetivo é criar relações de amizade e confiança entre a comunidade local, migrantes e refugiados.

Queres fazer parte desta comunidade internacional?

Visita o site do SPEAK para mais informações
www.speak.social

previous arrow
next arrow
Slider

 

PorAlmadaMundo

Curso Inicial de Formação Pedagógica de Formadores

Modalidade b-learning
(2 sessões presenciais e as restantes online)
de 13 de janeiro a 22 de março de 2021

Praça Capitães de Abril, nº 2B (as 2 sessões presenciais)

Custo
199€

Pagamento em 3 parcelas
75€ no ato da inscrição + 2 parcelas de 62€

Duração
92 horas com certificação do Instituto de Emprego e Formação Profissional – IEFP

Documentos
ficha de inscrição;
cartão de cidadão ou autorização de residência;
certificação de habilitação (mínimo 9º ano);
comprovativo de morada.

Contacto Coordenação de Formação
Caio Quinderé
933029509 (até 19h).

Inscrições
formacao@almadamundo.pt

Formulário

AHPTUS – Ficha Inscrição

 

 

PorAlmadaMundo

Roda de Conversas Migrantes – 2ª Sessão, subordinada ao tema acesso ao trabalho

Almada Mundo Associação, em parceria com a Santa Casa da Misericórdia, em concreto com o projeto (Re)age em Rede CLDS 4G, e a União de Freguesias de Almada, Pragal, Cova da Piedade e Cacilhas, promove na sede da Associação, dia 18 de dezembro pelas 17 horas, Dia Internacional do Migrante, a atividade Roda de Conversas Migrantes – 2ª Sessão, subordinada ao tema acesso ao trabalho

A iniciativa destina-se a migrantes em situação de vulnerabilidade a residirem em Almada, sendo este espaço o seu lugar de fala.  Para a eficácia e eficiência destas conversas orientadas na satisfação das suas reais necessidades, serão convidados especialistas, representantes de instituições e de organizações competentes das políticas locais do Concelho de Almada. 

PorAlmadaMundo

UFCD – 0778 – FOLHA DE CÁLCULO

7 de dezembro a 15 de fevereiro
2ª e 5ª feiras das 18h30 – 21h30

À distância (50h online)
Curso gratuito e certificado pelo Lisboa 2020

Sessões: 7/12/2020 e 10/12/2020; 14/12/2020 e 17/12/2020; 4/1/2021 e 7/1/2021; 11/1/2021 e 14/1/2021; 18/1/2021 e 21/1/2021; 25/1/2021 e 28/1/2021; 1/2/2021; 4/2/2021; 8/2/2021; 11/2/2021; 15/2/2021

 

formadora Hélia Ferreira

Almada Mundo Associação Internacional de Educação, Formação e Inovação em parceria com a empresa EDUGEP, vem, por este meio, apresentar um plano de formação modular a distância, constituído por UFCD´s nas áreas das Ciências, Informáticas e da Gestão e Administração. As UFCD’s desenvolvem-se de forma gratuita e contextualizada, com o objetivo de satisfazer as necessidades identificadas, no âmbito da aquisição de competências para a utilização de recursos, metodologias para o  desenvolvimento de conteúdos digitais, a distância e / ou em presença, com qualidade e responsabilidade. A ação atribui um certificado emitido pelo Lisboa 2020.

Desenvolver competências tecnológicas.  no âmbito da construção, edição e impressão da folha de cálculo, através da utilização das fórmulas, funções, gráficos e desenhos em folhas de cálculo.

SABER MAIS:
http://www.catalogo.anqep.gov.pt/Ufcd/Detalhe/9162

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO:
População ativa, empregados (9.º ano) e desempregados (12.º ano);

Entrega obrigatória dos seguintes Documentos:
– Empregados: Declaração da entidade empregadora ou recibo de vencimento
– Desempregados: Inscrição no IEFP ou declaração de honra
– Cartão de cidadão/ Título de residência
– Curriculum Vitae
– Certificado de habilitações
– Comprovativo de IBAN com nome do titular de conta

Almada Mundo Associação de Formação, Educação e Inovação
almadamundo.amai@gmail.com
formacao@almadamundo.com

920179300

Formulário

Ficha_Inscricao_Modular_EDUGEP